02 de Março de 2019

VII SEMANA COMUM   (verde – ofício do dia)

Confiei, Senhor, na vossa misericórdia; meu coração exulta porque me salvais. Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez (Sl 12,6).

Porque foi criada à imagem e semelhança de Deus, cada pessoa merece absoluto respeito, desde a mais tenra idade até o ocaso. As crianças são símbolo da atitude cristã perante Deus e perante os outros.

Primeira Leitura: Eclesiástico 17,1-13

Leitura do livro do Eclesiástico – 1Da terra Deus criou o homem e o formou à sua imagem. 2E à terra o faz voltar novamente, embora o tenha revestido de poder semelhante ao seu. 3Concedeu-lhe dias contados e tempo determinado, deu-lhe autoridade sobre tudo o que está sobre a terra. 4Em todo ser vivo infundiu o temor do homem, fazendo-o dominar sobre as feras e os pássaros. 5Deu aos homens discernimento, língua, olhos, ouvidos e um coração para pensar; encheu-os de inteligência e de sabedoria. 6Deu-lhes ainda a ciência do espírito, encheu o seu coração de bom senso e mostrou-lhes o bem e o mal. 7Infundiu o seu temor em seus corações, mostrando-lhes as grandezas de suas obras. 8Concedeu-lhes que se gloriassem de suas maravilhas, louvassem o seu nome santo e proclamassem as grandezas de suas obras. 9Concedeu-lhes ainda a instrução e entregou-lhes por herança a lei da vida. 10Firmou com eles uma aliança eterna e mostrou-lhes sua justiça e seus julgamentos. 11Seus olhos viram as grandezas da sua glória, e seus ouvidos ouviram a glória da sua voz. Ele lhes disse: “Tomai cuidado com tudo o que é injusto”. 12E a cada um deu mandamentos em relação ao seu próximo. 13Os caminhos dos homens estão sempre diante do Senhor e não podem ficar ocultos a seus olhos. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 102(103)

O amor do Senhor por quem o respeita / é de sempre e para sempre.

  1. Como um pai se compadece de seus filhos, / o Senhor tem compaixão dos que o temem. / Porque sabe de que barro somos feitos / e se lembra que apenas somos pó. – R.
  2. Os dias do homem se parecem com a erva, / ela floresce como a flor dos verdes campos; / mas apenas sopra o vento, ela se esvai, / já nem sabemos onde era o seu lugar. – R.
  3. Mas o amor do Senhor Deus por quem o teme / é de sempre e perdura para sempre; / e também sua justiça se estende, † por gerações, até os filhos de seus filhos, / aos que guardam fielmente sua aliança. – R.
Evangelho: Marcos 10,13-16
Aleluia, aleluia, aleluia.

Graças te dou, ó Pai, / Senhor do céu e da terra, / pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, / escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 13traziam crianças para que Jesus as tocasse. Mas os discípulos as repreendiam. 14Vendo isso, Jesus se aborreceu e disse: “Deixai vir a mim as crianças. Não as proibais, porque o reino de Deus é dos que são como elas. 15Em verdade vos digo, quem não receber o reino de Deus como uma criança não entrará nele”. 16Ele abraçava as crianças e as abençoava, impondo-lhes as mãos. – Palavra da salvação.

Reflexão:
O povo que acompanha Jesus conhece os efeitos do seu toque. Com o toque, havia curado cegos e surdos e restituído a vida a uma menina morta. Também as crianças querem receber a bênção de Jesus. Elas servem como exemplo de simplicidade, confiança, transparência e disponibilidade para acolher o Reino de Deus. Por isso é que Jesus corrige a atitude nada benévola dos discípulos e aproveita para deixar uma importante lição que atravessa os séculos: “O Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas”. Deixa-se envolver pelas crianças, abraçando-as e impondo as mãos sobre elas.
Fonte:https://www.paulus.com.br
compartilhar

Postagens recomendadas