1º de Março de 2019

VII SEMANA COMUM  (verde –  3ª semana do saltério)

Confiei, Senhor, na vossa misericórdia; meu coração exulta porque me salvais. Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez (Sl 12,6).

O matrimônio consiste na comunhão de vida e de amor dos esposos, cuja dinâmica de união é permanente e exige fidelidade mútua. O Senhor nos dê a graça de compreender a grande riqueza do matrimônio.

Primeira Leitura: Eclesiástico 6,5-17

Leitura do livro do Eclesiástico – 5Uma palavra amena multiplica os amigos e acalma os inimigos; uma língua afável multiplica as saudações. 6Sejam numerosos os que te saúdam, mas teus conselheiros, um entre mil. 7Se queres adquirir um amigo, adquire-o na provação; e não te apresses em confiar nele. 8Porque há amigo de ocasião, que não persevera no dia da aflição. 9Há amigo que passa para a inimizade e que revela as desavenças para te envergonhar. 10Há amigo que é companheiro de mesa e que não persevera no dia da necessidade. 11Quando fores bem-sucedido, ele será como teu igual e, sem cerimônia, dará ordens a teus criados. 12Mas, se fores humilhado, ele estará contra ti e se esconderá da tua presença. 13Afasta-te dos teus inimigos e toma cuidado com os amigos. 14Um amigo fiel é poderosa proteção: quem o encontrou, encontrou um tesouro. 15Ao amigo fiel não há nada que se compare, é um bem inestimável. 16Um amigo fiel é um bálsamo de vida; os que temem o Senhor vão encontrá-lo. 17Quem teme o Senhor conduz bem a sua amizade: como ele é, tal será o seu amigo. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118(119)

Guiai-me pela estrada do vosso ensinamento!

  1. Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; / os vossos mandamentos ensinai-me! – R.
  2. Minha alegria é fazer vossa vontade; / eu não posso esquecer vossa palavra. – R.
  3. Abri meus olhos, e então contemplarei / as maravilhas que encerra a vossa lei! – R.
  4. Fazei-me conhecer vossos caminhos, / e então meditarei vossos prodígios! – R.
  5. Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei / e de todo o coração a guardarei. – R.
  6. Guiai meus passos no caminho que traçastes, / pois só nele encontrarei felicidade. – R.
Evangelho: Marcos 10,1-12

Aleluia, aleluia, aleluia.

Vossa Palavra é a verdade; / santificai-nos na verdade! (Jo 17,17) – R.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, 1Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do rio Jordão. As multidões se reuniram de novo em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava. 2Alguns fariseus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher. 3Jesus perguntou: “O que Moisés vos ordenou?” 4Os fariseus responderam: “Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la”. 5Jesus então disse: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos escreveu esse mandamento. 6No entanto, desde o começo da criação, Deus os fez homem e mulher. 7Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe, e os dois serão uma só carne. 8Assim, já não são dois, mas uma só carne. 9Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!” 10Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto. 11Jesus respondeu: “Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra cometerá adultério contra a primeira. 12E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério”. – Palavra da salvação.

Reflexão:
Jesus ensina às multidões e aos discípulos. O tema recai sobre o divórcio. A lei de Moisés (Dt 24,1-3) concedia vantagem ao homem em prejuízo da mulher. Repudiar (mandar embora a mulher) significava que o homem podia despedir sua mulher por qualquer motivo, sem explicações. Expressava a superioridade do homem e seu domínio sobre a mulher. Jesus esclarece por que Moisés deu esse preceito: “por causa da dureza do coração de vocês”, e ao mesmo tempo mostra o projeto original de Deus, afirmando claramente a igualdade de homem e mulher. Este é o ideal do matrimônio: realiza uma identificação que exclui o domínio. “Já não serão dois, mas uma só carne”. A simples decisão de um dos cônjuges não basta para anular o vínculo criado no casal. “O que Deus uniu, o homem não separe”.

Fonte: https://www.paulus.com.br

compartilhar

Postagens recomendadas