31 de Julho – Santo Inácio de Loyola

Neste dia 31 de julho é a festa de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, conhecida como os jesuítas, ordem que desempenhou um papel importante na contrarreforma. O santo mestre dos discernimentos de espíritos é também padroeiro dos exercícios espirituais, dos retiros e dos soldados.

O processo de conversão de Santo Inácio começou ao ler o livro ‘Vida de Cristo’, assim como ‘Flos sanctórum’. Ao refletir sobre essas leituras e a vida dos santos, questionava-se a si mesmo: “E se eu fizesse o mesmo que São Francisco ou São Domingos?”.

São João Paulo II assinalava que Inácio “soube obedecer quando, recuperando-se das suas feridas, a voz de Deus pulsou com força no seu coração. Foi sensível às inspirações do Espírito Santo”.

“Ad Majorem Dei Gloriam”, que significa em latim “Para a maior glória de Deus” foi o lema com o qual o santo mais se identificou, assim como “Rogue a Deus por todos os que como tu desejamos estender o Reino de Cristo, e fazer amar mais o nosso Divino Salvador”.

Uma das grandes obras deixadas por Santo Inácio é o livro ‘Exercícios Espirituais’. O Papa Pio XI indicou em uma oportunidade que o método inaciano de oração “guia o homem pelo caminho da própria abnegação e do domínio dos maus hábitos para os mais altos cumes da contemplação e o amor divino”.

O Papa Francisco, o primeiro Pontífice jesuíta na história da Igreja, ao celebrar a festa do seu fundador em 2013, refletiu e recordou a seus irmãos da Companhia o lema que os identifica ‘Iesus Hominum Salvator’, que os chama a ter sempre como centro Cristo e a Igreja, a quem devem servir.

Pelos méritos da Paixão de Cristo, foi-nos dada a graça sem a qual jamais seríamos justificados. Fazendo-nos renascer nEle como amigos e familiares de Deus (cf. Jo 15, 15; Ef 2, 19), esta graça nos dispõe a progredir de virtude em virtude (cf. Sl 83, 8) e a renovar-nos de dia para dia (cf. 2Cor 4, 16), a fim de crescermos e nos tornarmos mais justos na justiça recebida, como está escrito: “O santo santifique-se ainda mais” (Ap 22, 11) pela fé e as boas obras (cf. Tg 2, 22.24), pela observância dos mandamentos de Deus e da Igreja, pela prática assídua da oração e da meditação, esperançoso com temor e tremor de que Deus, como começou a boa obra, assim também a levará a bom termo, operando em nós o querer e o executar (cf. Fl 2, 13). Recorramos, pois, à intercessão de Santo Inácio de Loyola e peçamos-lhe que nos alcance de Deus o aumento constante da justiça, para amadurecermos na fé que a sua Companhia semeou em nossas terras.

Santo Inácio morreu no dia 31 de julho de 1556. Paulo V o beatificou em 1609 e foi canonizado por Gregório XV em 1622. Na cidade de Roma (Itália), os restos mortais do santo são venerados na Igreja de Jesus.

Fonte: cleofas

compartilhar